Orange is the New Black está voltando! A Netflix anunciou que a sexta temporada chega ao catálogo no dia 27 de julho, e todo mundo quer saber o que aconteceu com as detentas. Pensando nisso, tivemos acesso a uma entrevista com Danielle Brookes, que interpreta a Taystee!

Desde o primeiro ano, Tasha "Taystee" Jefferson é uma das queridinhas do público. Mas, na quinta temporada, ela foi uma das personagens mais cruciais para o desenvolvimento trama. Afinal, foi ela que liderou a rebelião, buscando justiça para Poussey (Samira Wiley). E essa rebelião acabou com todas as detentas sendo enviadas para outras prisões, o que aumenta mais ainda a expectativa para os próximos episódios.

Em entrevista à Variety, Danielle Brooks contou o que podemos esperar na próxima temporada, especialmente sobre toda a novidade que vamos encontrar.

"Eu acho que cada ano requer uma reviravolta, mas especialmente esse, por conta de tudo o que foi causado na quarta temporada. Não existe um bom jeito de começar uma rebelião na cadeia, especialmente quando você já é considerada o fundo do poço da sociedade. Você não é nem considerada humana, então eu nunca esperei que venceríamos no fim, em nenhum momento. Essas meninas, elas estão aí para isso. Então esse temporada é realmente sobre sobreviver, porque todas essas detentas de diferentes prisões ouviram sobre o acontecido. Vão existir várias versões da verdade e de como isso se manifesta em cada mulher; vai ser muito interessante."

Sexta temporada marca um recomeço para Orange is the New Black

"Essas meninas estão procurando novos lares, e com novos lares vêm novos rostos, novas detentas, novos guardas e a procura por uma família, uma tribo. Você tem que começar tudo de novo, enquanto ainda tenta se apegar à sua tribo, ainda tenta manter o senso de comunidade de Lichfield nesse novo ambiente. Então acho que vai ser uma temporada incrível. Acho que os fãs se sentem satisfeitos de alguma forma, e os roteiristas estavam particularmente criativos. Você vê alguns episódios que você nunca imaginaria que aconteceria daquela forma, e eu acho isso bem legal. Orange tem sido uma série pioneira, mudando de um jeito que nunca havíamos visto na TV, mas o primeiro episódio realmente traz uma mudança. Eu nunca pensei nem vi nada assim em narrativas."

Mas é claro que Danielle Brooks falou um pouco também sobre sua personagem. Nas temporadas anteriores, vimos um bocado sobre o passado de Taystee — o abandono pela mãe e os lares adotivos pelos quais passou.

"Cara, no começo da sexta temporada, ela está meio desnorteada e com certo medo do que aconteceu — e também do que não aconteceu. O fato de não ter havido justiça para Poussey realmente está sendo difícil de lidar, enquanto ela se sente solitária e sem nenhum senso de família. Todo mundo abandonou o mundo dela, então nós a vemos lutar contra a depressão, lutar contra a vontade de desistir. Nós também vamos voltar ao passado e ter mais flashbacks da Taystee, para ver mais de onde ela veio e como de fato chegou a esse ponto."

"Estamos mais próximos do fim", garante Danielle Brooks

Assim como todas as séries, Orange is the New Black tem sempre uma questão rondando: ela vai ser renovada? Mesmo que sim, não dá para garantir que nossas personagens favoritas estarão nela — como infelizmente aprendemos com a morte de Poussey. Quando questionada sobre o futuro de sua personagem, a atriz respondeu:

"Eu não sei. Tenho um pouco de medo disso. Independentemente do que aconteça, se vamos para mais 5 anos ou se a sétima temporada é a última, eu estou no caminho. Estou ansiosa para saber onde isso vai me levar, porque ainda estou no começo da minha carreira. Meu coração fica um pouco apertado, sabendo que nós podemos estar a caminho do fim, especialmente com a minha personagem sendo um pouco mais isolada de todas as outras personagens principais na série. É meio: 'caramba, eu posso voltar a fita rapidinho? Eu posso voltar no tempo e aproveitar esses momentos um pouco mais? Passar mais tempo com as minhas amigas, realmente absorver esses momentos que nós criamos juntas...' Nesse momento, você não sabe se é o fim ou não, então você fica realmente empolgada com qualquer ligação às 5 da manhã. Você se empolga naquelas horas em que está simplesmente sentada na cela com Nick Sandow [Caputo] ou na cela com Taylor Schilling [Piper] esperando eles ajeitarem a iluminação. Você realmente tem que aproveitar esses momentos, porque vão chegar ao fim. Eu não sei quando, mas sinto que estamos mais próximos do fim do que do começo."

Este texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.