Apesar de não ter a mesma popularidade da série que a derivou, até agora, Better Call Saul apresentou em suas três temporadas uma narrativa que se mantém a par do espetáculo que Breaking Bad nos enredou em seus 5 anos, trilhando uma curiosa jornada de como o advogado pilantra vivido por Bob Odenkirk chegou ao auge de suas artimanhas para amenizar as atividades ilícitas de Walter White e Jesse Pinkman.

Antes de ser Saul, a série conta que o advogado atendia pelo nome de Jimmy McGill e pouco era bem-sucedido em sua formação (a não ser quando apelava para a malandragem), tinha uma relação bastante tensa com seu irmão mais velho e também se provava capaz de amar. Em meio a essas tramas e subtramas inéditas que injetaram uma complexidade ao personagem e a coadjuvantes, os criadores Vince Gilligan e Peter Gould não se esqueceram de escrever referências ao seu bem-sucedido programa finalizado em 2013 – e não, não estamos falando das aparições de Mike Ehrmantraut, Gus Fring, Lydia, a família Salamanca ou até mesmo o assistente Huell.

Confira abaixo alguns dos Easter Eggs presentes nos episódios de Better Call Saul que se conectam discreta e perfeitamente com Breaking Bad:

1. O Cadillac DeVille

Antes de dirigir o opulento Cadillac DeVille branco de 1997 com a icônica placa "LWYRUP", Jimmy tinha que se contentar com um velho Suzuki Esteem amarelo desbotado e com uma porta vermelha.

Vale lembrar que o carro dos sonhos de Jimmy aparece logo no primeiro episódio da série, mais precisamente quando o personagem sai do fórum – nisso, a direção engana o espectador ao enquadrar o Cadillac em primeiro plano. O detalhe é que, à medida que o personagem se aproxima, a câmera se movimenta para a esquerda e revela o verdadeiro automóvel do advogado.

2. A mesma vizinhança

Acharam aquele restaurante em que Jimmy vai se encontrar com os Kettlemans bastante semelhante com alguma locação de Breaking Bad? Pois bem, o Loyola's Diner é um estabelecimento que existe em Albuquerque e serviu de locação para cenas envolvendo Mike (Jonathan Banks) em seus encontros com Jesse e Lydia; o personagem tem até um sanduíche preferido por lá desde a época narrada na prequência.

3. O mesmo lar de idosos

A quarta temporada de Breaking Bad terminou bastante explosiva para Gus Fring (Giancarlo Esposito) e seu inimigo Hector Salamanca (Mark Margolis) no lar de idosos chamado Casa Tranquila. Não por menos, Better Call Saul também veio para detalhar essa rivalidade entre os dois traficantes e, consequentemente, como o Tio Salamanca "ganhou" uma cadeira de rodas.

Em mais uma conexão entre as duas séries, a Casa Tranquila é um dos locais onde Jimmy tenta vender seguros para os simpáticos velhinhos, até descobrir o golpe aplicado pela empresa Sandpiper Crossing, como visto no primeiro ano da série.

4. Kevin Costner

Cheio de lábia, Jimmy/Saul já se deu bem (ou mal) com seu papo furado convincente e, durante um episódio de Breaking Bad, o advogado conta para Walter que fez uma mulher acreditar que ele era o ator Kevin Costner – tudo porque ele acreditava nisso também. Better Call Saul nos presenteou com esse momento hilário que acabou se tornando uma manhã infeliz para a mulher.

5. Um endereço peculiar

Conta-se, no seriado, que o primeiro escritório de advocacia de Jimmy – uma espelunca montada nos fundos de um salão de beleza – está localizado no endereço Juan Tabo Boulevard, 160. Se era para ser uma rua escolhida ao acaso, os fãs de Breaking Bad encontraram uma importante coincidência entre os dois programas.

Basicamente, "Juan Tabo Boulevard" é também a mesma rua onde morava o químico Gale Boetticher, que encontrou seu triste fim nas mãos de Jesse. Há quem espere que o solitário cantor de "Major Tom" ainda apareça no seriado.

6. Nacho

Interpretado por Michael Mando, Nacho é um personagem inédito que recebeu um considerável tempo de tela entre as temporadas exibidas de Better Call Saul, tendo ligações com a família Salamanca, Mike, Gus Fring e Jimmy. Diante disso, há quem tenha se perguntado por que o personagem tem lá tanta importância para a história, sendo que nem chegou a aparecer em Breaking Bad – fisicamente, é claro.

Sequestrado por Walter e Jesse certa vez, Saul expele várias bobagens na tentativa de permanecer vivo, falando o nome "Ignacio". Se, na época, tal fato poderia ser algo completamente à toa, descobrimos em Better Call Saul que "Nacho", nada mais é, que um apelido para Ignacio, o que significa que o advogado e o bandido possivelmente trabalharão mais vezes no atual seriado.

7. Dólar no bolso

De mãos atadas, Saul decidiu ajudar Walt e Jesse pedindo-lhes para colocar uma nota de 1 dólar em seu bolso para garantirem o privilégio entre advogado e cliente.

Não se esquecendo desse incidente, os roteiristas de Better Call Saul decidiram que o advogado teria se inspirado em um ato de sua amada Kim, que, ao descobrir que o companheiro falsificou uma evidência, obriga Jimmy a depositar 1 dólar no bolso dela com a mesma intenção – o que reforça a importância da personagem na vida do trambiqueiro.

8. Joelhos ruins

Em outro dos seus blefes na fatídica cena do sequestro, Saul contou à dupla de fabricantes de metanfetamina que não poderia se ajoelhar em virtude de seus joelhos ruins. Logo na primeira temporada de Better Call Saul, Jimmy alega o mesmo quando é apreendido por policiais, além de Tuco e Nacho – e isso tem um motivo.

Em sua juventude, o advogado era chamado de "Slippin' Jimmy" (ou "Jimmy Sabonete", como é traduzido por aqui) por simular quedas em troca de uma grana.

9. A mesa do escritório

Um elemento da decoração carregada (e um tanto quanto cafona) do escritório de Saul Goodman em Breaking Bad pode ser encontrado já nos eventos de Better Call Saul.

Por enquanto, nada dos comerciais feitos a preço de banana, mas a mesa octagonal integrante da sala de Saul se encontra no escritório de Kim mesmo que discretamente apilhada de documentos. Pelo que os materiais divulgados da quarta temporada revelaram, a relação entre Jimmy e a advogada estará em risco, mas parece já sabemos quem vai ficar com os móveis.

10. Filme favorito

Outro valor sentimental que Saul tem por Kim reside no nome da empresa controladora, a Ice Station Zebra Associates, que ele usa para ajudar Walt a lavar o dinheiro em Breaking Bad. Não por acaso, o nome é derivado do filme favorito de Kim, Ice Station Zebra (ou Estação Polar Zebra, como lançado em português), devido ao carinho que o pai dela tinha pelo longa – o casal assiste junto em suas noites cinéfilas.

11. Garrafa envenenada

Recordam-se de quando Gus envenenou uma garrafa de tequila da fictícia marca Zafiro Añejo para presentear (ou melhor, se vingar de) Don Eladio? Pois a azulada garrafa marcou presença em Better Call Saul em um restaurante onde Jimmy e Kim enganaram um arrogante advogado chamado Ken, que pagou custosas doses para o casal. Em Breaking Bad, Ken também sentiu a ira de Heisenberg e teve seu carro incendiado pelo químico.

12. Acrônimos

Mesmo aparecendo somente a partir da terceira temporada, o personagem de Giancarlo Esposito teve sua volta confirmada pelas iniciais dos títulos dos episódios do segundo ano de Better Call Saul, formando a frase "FRING'S BACK"; mas essa não foi a primeira vez em que os criadores do programa utilizaram tal recurso.

Na season 2 de Breaking Bad (que tanto causou mistério com aqueles detalhes na piscina como introdução), quatro de seus capítulos formavam a frase "Seven Thirty-Seven Down Over ABQ", prenunciando a queda de um avião 737 sobre a cidade, como visto no último episódio daquele ano.

Este texto foi escrito por Thiago Cardoso via nexperts.