Recém-incluído no catálogo da Netflix, o filme argentino Desejarás o Noivo da Sua Irmã tem causado bastante polêmica. Alguns espectadores estão acusando a produção de veicular pornografia infantil, por conta de sua primeira cena. Entretanto, o diretor Diego Kaplan nega as acusações.

O trecho em questão traz duas menininhas sentadas no chão da sala, enquanto assistem a um filme de faroeste. Uma delas observa o caubói e resolve imitá-lo, colocando uma almofada entre as pernas e imitando a cavalgada. Com a movimentação, ela acaba tendo um orgasmo acidental e caindo para o lado, e sua irmã, que observou a "brincadeira", interpreta que ela simplesmente "passou mal". Vale ressaltar que a garota está vestida durante toda a cena. Para deixar claro o acontecido, o diretor usa ferramentas como câmera lenta e closes no rosto ofegante da garotinha.

Entretanto, alguns espectadores não acharam a cena nada sutil. Uma jornalista política conservadora, Megan Fox, escreveu (em seu blog) que se trata de pornografia infantil, e tanto o diretor quanto a Netflix deveriam ser punidos. Ela afirma: "A Netflix está violando [a lei de] distribuição de pornografia infantil, porque a criança em questão está claramente envolvida no ato sexual de masturbação. E isso excede o requerimento mínimo de ser meramente sugestivo". Além de Fox, alguns espectadores têm usado as redes sociais para pedir à Netflix que tire o filme de seu catálogo e ameaçando boicotar o serviço de streaming caso isso não aconteça.

Diretor se posiciona: "tudo acontece dentro da cabeça do espectador"

O diretor Diego Kaplan se defendeu das acusações em nota à imprensa. Ele garante que nenhuma das atrizes mirins sabia do acontecido: elas foram apenas orientadas a imitar o caubói. Além disso, segundo ele as filmagens foram feitas sob os cuidados da mães das meninas.

Confira na íntegra a nota do diretor:

"Desejarás o Noivo da Sua Irmã é um filme. Quando você vê um tubarão devorando uma mulher em um filme, ninguém pensa que a mulher realmente morreu ou que o tubarão era real. Nós trabalhamos com um mundo de ficção; e, para mim, antes de ser um diretor, eu sou um pai.

É claro que a cena do filme foi gravada usando um truque, no qual as meninas estavam copiando uma cena de caubói de um filme de John Ford. Elas nunca entenderam o que estavam fazendo, elas simplesmente copiaram o que viram na tela. Nenhum adulto interagiu com as meninas além do diretor de atuação infantil. Tudo foi feito sob a vigilância cuidadosa das mães das meninas. Como eu sabia que a cena poderia causar certa polêmica, existe uma gravação dos bastidores da filmagem de toda a cena.

Tudo acontece dentro da cabeça do espectador, e como você acha que a cena foi filmada vai depender do seu nível de depravação."

O filme foi lançado na Argentina em 2017, sob o título original Desearás Al Hombre de Tu Hermana, e chegou ao catálogo da Netflix em dezembro, com classificação indicativa de 18 anos. A companhia ainda não se posicionou sobre o acontecido.

Além disso, não é a primeira vez que a Netflix é alvo de campanhas de boicote e cancelamento neste ano, em especial por parte de conservadores estadunidenses. Outras decisões da empresa que causaram polêmica foram incluir Susan Rice (ex-embaixadora da ONU e conselheira de Obama) na lista de seus diretores, bem como começar a produzir um documentário sobre o próprio Barack Obama. A última contracampanha aconteceu quando foi anunciado um desenho de uma super-heroína drag queen, chamada Super Drags — existe uma petição para que o programa seja cancelado.

Este texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.