Elas surgem em um corredor assustador, vestidas da mesma forma, e são seguidas por uma inundação de sangue. REDRUM, REDRUM. Danny Torrance nunca mais foi o mesmo depois de uma das mais fantásticas cenas de filmes de terror do cinema, em O Iluminado — que, inclusive, agora terá uma continuidade, The Sleep.

As irmãs que aparecem na tela e o próprio Danny, com o andamento do filme, criam um combo de terror e suspense que tira qualquer um da sua zona de conforto. Por que crianças em filmes de terror podem ser tão assustadoras?

Talvez seja a combinação de inocência com maldade, mas o fato é que, quando os pequenos são inseridos no contexto de um longa-metragem do gênero, ele pode se tornar ainda mais apavorante.

Veja algumas das crianças mais macabras do cinema:

O Exorcista (1973)

Um filme que marcou gerações inteiras e foi um verdadeiro marco do gênero, O Exorcista traz uma típica jovem norte-americana que é possuída por um espírito maligno que ninguém parece conseguir mandar embora.

O Padre Merrin, um renomado exorcista, é chamado para tentar resolver a situação assustadora em que a família se encontra. Com cenas nojentíssimas e muito jump scare, o filme foi inovador para sua época e tirou o sono de muita gente quando foi lançado, sendo até hoje um dos mais famosos filmes de exorcismo.

A Profecia (1976)

Quando Damien nasceu, seus pais pensaram que ele havia chegado para trazer alegria e amor para a família. Mas, na noite em que nasceu, algo estranho aconteceu e, aos 5 anos, Damien deixou de ser ele mesmo e começou a manifestar algum tipo de possessão demoníaca. Ou será ele um anticristo? O fato é que, por trás desse rostinho angelical, se escondem intenções terríveis que levam as pessoas a cometerem atos inimagináveis.

Carrie, a Estranha (1976)

Dirigido por Brian de Palma a partir da história de Stephen King com adaptação de Lawrence D. Cohen, Carrie, a Estranha é tímida e quieta, totalmente dominada por sua mãe, uma religiosa inveterada e controladora.

Como qualquer criança menos popular, ela vai à formatura para se divertir, mas acaba totalmente humilhada pelos colegas. O trauma libera em Carrie poderes telecinéticos que vão virar o jogo. A versão original de 1976, indicada ao Oscar em duas categorias, teve também uma adaptação em 2013.

Os Filhos do Medo (1979)

David Cronenberg dirige e roteiriza esse thriller psicológico assustador em que pequenas crianças aterrorizam uma família durante um tratamento com um psiquiatra, no qual são utilizados métodos no mínimo questionáveis.

Poltergeist (1982)

A família Freeling só queria seguir vivendo sua vida em paz, mas coisas estranhas começam a acontecer. Objetos se movendo, luzes se apagando e acendendo, e fica claro que alguma entidade está tentando participar da vivência da família. A coisa fica séria quando os espíritos passam a conversar com a pequena Carol através da TV.

Colheita Maldita (1984)

Um verdadeiro clássico do terror, Colheita Maldita é baseado em uma história criada por Stephen King. Adaptado para o cinema por George Goldsmith com direção de Fritz Kiersh, ele nos conduz para uma pequena e remota cidade de interior, comandada por um culto assustador no qual se acredita que qualquer pessoa acima de 18 anos deve ser morta. Existem diversas versões, refilmagens e sequências; a mais aclamada pela crítica é a de 1984.

Chamas da Vingança (1984)

Poderes telecinéticos são misteriosos o suficiente, mas essa menina, Charlie, consegue criar fogo, espalhando o pânico e a ambição de pessoas que querem utilizar sua habilidade para o mal.

O Anjo Malvado (1993)

Elijah Wood e Macaulay Culkin eram fofínhos demais quando eram crianças, não é? No entanto, por trás do rostinho bonito de um deles, se esconde uma personalidade maquiavélica, digna de um sociopata. Dirigido por Joseph Ruben, O Anjo Malvado mostra a história de um menino chamado Mark, que viaja para ficar com os tios e o primo, Henry. Só que o menino é o mais puro retrato do mal e vai colocar a vida do primo em perigo.

A Cidade dos Amaldiçoados (1995)

Nesse filme de John Carpenter, repentinamente várias mulheres ficam grávidas ao mesmo tempo. Quando as crianças nascem, logo começam a performar atos bizarrísimos e demonstrar habilidades além do normal — incluindo ler e controlar a mente dos adultos.

O Chamado (2002)

Já é quase um clássico dos cinemas. Dirigido por Gore Verbinski, o filme O Chamado conta a história de uma jornalista que descobre a existência de uma fita de vídeo que faz com que qualquer pessoa que a assista acabe morrendo. A causadora dessas mortes é a jovem Samara, uma menina de vestido branco e longos cabelos pretos que já assombrou os sonhos de milhões de pessoas em todo o mundo.

O Grito (2004)

Karen Davis chega a Tóquio para trabalhar como enfermeira, mas o que a recebe na capital japonesa é algo muito mais assustador do que a rotina no hospital. Seu caminho se cruza com o de um espírito sobrenatural que possui suas vítimas, enchendo-as de raiva. A maldição se manifesta com o rosto e o olhar de uma criança macabríssima, que ela vai precisar combater para não sucumbir. O filme tem duas versões, ambas dirigidas por Takashi Shimizu. A segunda é uma adaptação norte-americana, protagonizada por Sarah Michelle Gellar.

Terror em Silent Hill (2006)

Sharon era uma menininha que tinha alguns pesadelos. Para tentar entender o que se passava na cabeça da pequena, a mãe decide viajar para Silent Hill, o lugar que seguia aparecendo nos sonhos da filha. Nessa misteriosa cidade, elas são confrontadas por uma série criaturas bizarras e momentos de terror, tudo sob o comando de uma criança: a terrível Alessa.

O Orfanato (2007)

Laura retorna com sua família ao orfanato onde morou quando pequena, tudo a fim de abrir um abrigo para crianças excepcionais. A nova vizinhança desperta a imaginação de seu filho, no entanto, que começa a se deixar levar por jogos de fantasia cada vez mais intensos. A situação vai ficando mais do que tensa quando seu filho passa a enxergar outras crianças e fazer amigos que ela não enxerga, mas que começam a assombrá-la. Com produção-executiva de Guillermo Del Toro, esse longa-metragem espanhol é dirigido por J. A. Bayona.

Um Crime Americano (2007)

Dirigido por Tommy O'Haver, o filme é baseado em fatos reais, o que torna tudo mais perturbador ainda. E não há outra palavra que descreva melhor os fatos que se passam nesse longa-metragem protagonizado por Ellen Page. Ela interpreta uma adolescente deixada pelos pais para ser criada por uma mulher desconhecida durante os anos 60 — prática comum na época, quando as famílias precisavam trabalhar e não tinham com quem deixar as crianças.

O problema é que a cuidadora Gertrude Banisewski não apenas trata as crianças muito mal, como também as tortura, machuca e castiga severamente — e ainda incentiva os próprios filhos a fazer o mesmo. A turminha de filhos de Gertrude acaba seguindo os exemplos da mãe, tornando-se verdadeiros torturadores profissionais.

A Orfã (2009)

Crianças órfãs rendem um excelente material para filmes de terror, uma vez que criam o ambiente perfeito no qual não se conhece seu passado, e tudo sobre elas pode ser misterioso.

É exatamente esse o contexto de A Orfã, de Jaume Collet-Serra, no qual uma família decide adotar mais uma criança. A escolhida é Esther (Isabelle Fuhrman), uma menina supersimpática e inteligente sobre quem não se sabe nada; todas as informações sobre a menina de 9 anos foram perdidas. Mas Esther está longe de ser uma criança inocente e passa a ameaçar a segurança da família.

Mama (2013)

Um casal é morto, e suas duas filhas desaparecem na floresta no mesmo dia. Anos depois, elas ressurgem, são resgatadas e conseguem um novo lar. Acontece que começar uma nova vida não é bem assim quando você viveu o que elas viveram, e as pequenas Lilly e Victoria podem não ter exatamente se libertado do que antes as perseguia.

Babadook (2014)

Perturbador "até dizer chega", Babadook conta a história de Amelia e Samuel, uma mãe e seu filho, a partir do momento em que o pai da família morre violentamente. De luto, eles seguem com a vida até que um dia um estranho livro aparece na casa, trazendo com ele uma presença que ninguém consegue explicar muito bem. Dirigido e roteirizado por Jennifer Kent, o filme úne uma trilha sonora tensíssima a uma fotografia sinistra.

Boa Noite, Mamãe (2016)

Nesse suspense alemão dirigido por Veronika Franz e Severin Fiala, os gêmeos de 9 anos Lucas e Elias estão em casa com a mãe, que acaba de retornar depois de se submeter a algumas cirurgias plásticas. Como ela está usando uma máscara de recuperação e diferente do que lembram, eles começam a desconfiar de que a mulher não seja realmente a mãe e iniciam uma verdadeira guerra contra ela, mostrando que crianças podem ser demoníacas mesmo quando o filme não é sobrenatural.

It, A Coisa (2017)

Georgie é a criatura mais inocente e fofinha — não depois de passar pelas garras do Pennywise. Embora o maior elemento desse filme seja, claro, o palhaço mais icônico de todos os tempos, o remake de Andy Muschietti, de 2017, atualiza alguns pontos do filme, trazendo o terror para dentro do contexto de cada personagem e tornando tudo ainda mais aterrorizante. Um dos pontos mais terríveis é exatamente a participação de Georgie, o caçula de Bill, quando reaparece para apavorar o irmão no porão de casa.

Hereditário (2018)

Até onde pode ir a conexão entre uma criança e sua avó? Charlie é uma criança nada comum, em uma família nada ordinária. Quando a avó morre, dá-se início uma série de eventos perturbadores que levam a família toda ao limite. Assustador, incômodo até o último e terrivelmente macabro, Hereditário é o mais novo suspense sobrenatural com uma criança nada convencional.

Este texto foi escrito por Lu belin via nexperts.