Apesar da diversidade de opiniões profissionais espalhadas pela internet, há quem ainda acredite que a crítica nada mais é do que uma estraga-prazeres. Integrantes do público alegam que evitam a leitura da análise justamente para não terem sua opinião previamente influenciada; outros reclamam do excesso de "detalhes técnicos" no texto e fazem questão de comentar pela rede que só se importam com a sua própria impressão a respeito do filme que tanto esperam ver nos cinemas; porém, esquecem que os críticos também são espectadores.

Um pouco mais exigente e rigorosa do que o grande público – que, em geral, se deixa levar pela condução da história acompanhada de uma trilha sonora onipresente e um elenco que considera carismático em sintonia com a experiência coletiva –, a crítica em si busca o seu deleite ao testemunhar uma obra que se equipare ou supere um parâmetro prévio que possui sobre determinado gênero e, se as fórmulas são bem executadas ou, ainda, subvertidas de forma impressionante com demais aspectos dignos de nota, é aprovação na certa.

No caso do cinema de horror, títulos como Corra! e até mesmo Annabelle: A Criação do Mal encontram harmonia no consenso de crítica e audiências; já outras obras tidas como refinadas, tal como A Bruxa e o recente Hereditário, receberam impressões enojadas do público.

Diante dessa divergência, o Rotten Tomatoes publicou uma lista de filmes do gênero dos últimos 20 anos que caíram no gosto do povo, porém foram desprezados pelos críticos. Conheça alguns desses títulos e suas avaliações, além de algumas contribuições nossas:

1. O Enigma do Horizonte

Lançado em 1997, o terceiro longa-metragem dirigido por Paul W. S. Anderson estrelado por Laurence Fishburne, Sam Neill e Jason Isaacs flerta com a mistura de aventura espacial e terror que geralmente a crítica acha uma avacalhação, mas o público também é digno de colocar filmes em um honroso posto de cult e clássico (o que seria de As Branquelas sem o boca a boca, não é mesmo?), e O Enigma do Horizonte não é exceção a tal regra. Dizem que sempre vira tópico de discussão no Twitter.

O filme tem 67% de aprovação do público e 24% do consenso crítico no Rotten Tomatoes.

2. Stigmata

Estrelado em 1999 por Patricia Arquette, Gabriel Byrne e Jonathan Pryce, Stigmata integra informalmente aquela série de filmes de possessão e afronta à fé cristã que as pessoas adoram ver a fim de extravasar seus medos coletivamente. O consenso crítico é de 21% no Rotten Tomatoes, mas 63% do público aprovaram o longa dirigido por Rupert Wainwright (de A Névoa).

3. Mortos de Fome

Com Guy Pearce, Robert Carlyle, David Arquette e Jeffrey Jones, Ravenous (título original) é um terror de época baseado no século XIX em que um regimento parte em uma missão de resgate e é emboscado por um sádico canibal.

Setenta e seis por cento de aprovação do público é uma nota bastante razoável para uma obra que fala sobre a insanidade da guerra, mas não é o suficiente para a crítica, que lhe atribuiu 45%. O slogan da produção também não colaborou muito: "Você é o que você come".

4. A Mão Assassina

Talvez um sucesso para o público adolescente de 1999, a julgar pelos 58% de aprovação, A Mão Assassina é um "terrir" que se desapega de lógicas coerentes e mostra um jovem preguiçoso que tem sua mão direita possuída e sai atacando seus familiares e amigos na noite do Dia das Bruxas. Se a crítica só rendeu 16% de impressões positivas, supomos que os jovens daquela época só gostaram de assistir ao filme por causa de Jessica Alba e Vivica A. Fox.

5. Resident Evil: O Hóspede Maldito

Impulsionada pelo sucesso dos games lançados a partir da década de noventa, a franquia Resident Evil rendeu seis filmes em um espaço de 15 anos entre o lançamento de seu primeiro título e o Capítulo Final, que entrou em cartaz no início de 2017. Longe de ter sido uma série reverenciada por premiações e com efeitos visuais que não tardaram em ficar defasados, o primeiro longa dirigido por Paul W. S. Anderson e estrelado por Milla Jovovich e Michelle Rodriguez só teve 34% de críticas positivas, mas conquistou 67% de aprovação do público.

Ao contrário do esperado, os demais filmes de Resident Evil receberam notas ainda menores, apesar de ainda terem levado o público (ou seriam os fãs devotos?) às salas de cinema. Entretanto, um reboot da franquia já foi encomendado, e especula-se que possa ser comandado por James Wan.

6. A Casa dos 1000 Corpos

Longa-metagem de estreia de Rob Zombie, um aficionado do terror gore, A Casa dos 1000 Corpos é aquele típico filme em que casais "inocentes" estão em viagem atrás de lendas urbanas de assassinatos pelo Texas e acabam como prisioneiros de uma família de serial killers. Claramente uma premissa que levou os críticos a assistirem com impaciência, concedendo apenas 19% de aprovação. Já o público gostou da sanguinolência filmada por Zombie, conferindo 65% de nota positiva à produção – a maior pontuação na filmografia do diretor.

7. Anjos da Noite

Quando existem vampiros e lobisomens juntos em cena, a tendência é de que a crítica torça o nariz quase sempre por justa causa, o que fez com que o primeiro filme da série Underworld, lançado em 2004 no Brasil, ficasse com meros 31% de aprovação.

Seja pelo carisma de Kate Beckinsale como protagonista ou qualquer outro motivo aparente, o público gostou de Anjos da Noite. O Rotten Tomatoes computa 79% de impressões positivas e uma média de 3,6 para 5, justificando a continuidade da franquia até 2016 e a disparidade entre a opinião crítica e a popular.

8. Jogos Mortais

Terror dos apelativos e sanguinários, Jogos Mortais rendeu várias continuações ao longo dos anos e finais que nunca foram definitivos, graças ao apelo popular da franquia iniciada em 2004. Na ocasião, a crítica deu 49% de opiniões positivas para o filme, mas a porcentagem foi superada quase que em dobro pelas impressões dos espectadores, com um total de 84% que agraciou um dos primeiros trabalhos de James Wan no cinema.

9. O Pacto

Campeão de desaprovação na lista do Rotten Tomatoes com meros 4%, O Pacto reserva positivos 62% por parte do público, que, pelo visto, estava mais interessado em ver Sebastian Stan, Steven Strait e Taylor Kitsch – geralmente descamisados – do que uma farsesca história de poderes sobrenaturais.

10. Terror em Silent Hill

Inspirado no desolado game homônimo da década de 90, Silent Hill pode ter parecido enfadonho para os críticos, cujo consenso de 29% afirma que o título "é atormentado por diálogos fúteis, um enredo confuso e um longo tempo de execução". Enquanto isso, 62% do público gostaram da história estrelada por Sean Bean e Radha Mitchell.

Assim como no caso de Resident Evil, é possível que tal aprovação seja decorrente do fascínio dos fãs em ter visto os elementos do jogo retratados até que fielmente na telona – e com gráficos ligeiramente melhores.

11. A Colheita do Mal

Estrelado por Hillary Swank, Idris Elba e David Morrissey, A Colheita do Mal é um daqueles filmes de terror apocalípticos baseados em pragas bíblicas, que requerem disposição de sobra tamanha mesmice – coisa que os críticos não tiveram, por isso sentenciaram um total de 8% de aprovação.

A nota de 3,2/5 dada pelo público, formando um escore de 49%, dá algum crédito ao longa dirigido por Stephen Hopkins, que parecia ter uma experiência no gênero, a julgar por seus Predador 2 e A Hora do Pesadelo 5.

12. Repo! The Genetic Opera

Juntar Sarah Brightman, Paris Hilton, Alexa Vega e Paul Sorvino em um mesmo filme parece uma combinação esquisita para um musical que também tenta ser uma ficção científica de horror. Ao mesmo tempo que a proposta grosseira não caiu no gosto da crítica, cujo consenso descreve a falta de "sagacidade e substância para ser envolvente", 79% do público curtiram o que viram e ouviram no filme encabeçado pelos mesmos produtores de Jogos Mortais.

13. Sobrenatural: A Última Chave

A Blumhouse Productions se tornou um dos principais estúdios a manter o terror muito que vivo no cinema, apesar nem sempre acertar em boa qualidade. Enquanto quase ninguém gostou de Verdade ou Desafio, o quarto capítulo da franquia Sobrenatural (Insidious, no original) conquistou uma aprovação ligeiramente melhor do que seu antecessor lançado em 2015, totalizando 57% da audiência com nota 3.5/5, a mesma obtida por Sobrenatural: Capítulo 2.

Este texto foi escrito por Thiago Cardoso via nexperts.