Agora que Lucifer tem uma nova casa – após ser cancelada pela FOX e acolhida pela Netflix – algumas regras ficam mais flexíveis para os planos endiabrados dos showrunners Joe Henderson e Ildy Modrovich.

Saindo de um canal da TV aberta para o serviço de streaming, mudam as possibilidades de incluir cenas mais violentas, nudez ou mesmo palavrões na série, deixando-a mais realista (nas medidas de uma produção sobrenatural).

A dupla de produtores relembra que ainda na 1ª temporada de Lucifer tiveram que fazer diversas manobras em cena só para que o traseiro do protagonista, Tom Ellis, não aparecesse em uma cena em que seu personagem surgia nu diante da detetive Decker (Lauren German).

Lucifer (Tom Ellis) em cena da primeira temporada

"[Na Netflix] nós poderemos nos safar fazendo coisas desse tipo, ao mesmo tempo que não a ponto de gerar o sentimento ‘não posso assistir isso com a minha filha pré-adolescente’", diz Modrovich.

Henderson completa que o aspecto sombrio da série também poderá ser mais explorado agora que Lucifer não está no horário nobre: “Nosso sangue pode ser um pouco mais real, nosso horror pode ser um pouco mais horroroso... Tudo vai ficar dentro da linguagem do programa, mas nós definitivamente vamos abraçar as pequenas coisas que eu acho que fazem uma grande diferença.”

Veja também:

No entanto, ainda não se sabe quando poderemos ver essa nova faceta de Lucifer, já que a 4ª temporada da série ainda não tem data para estreiar na Netflix.

O Minha Série está comemorando 10 anos em 2018 com novidades aos nossos fãs: conheça o Clube Minha Série, o nosso perfil no Instagram e não deixe de assinar a newsletter Intervalo, que traz semanalmente conteúdos exclusivos em um formato especial.