Foi anunciado no dia 11 de junho que Geoff Johns, roteirista de histórias em quadrinhos e diretor-criativo da DC, deixaria seu cargo para ser escritor e produtor na Warner Bros. A notícia fez com que Kyle Buchanan, editor-sênior da Vulture, fosse ao Twitter para compartilhar algumas informações que soube sobre o papel que o roteirista desempenhou por trás das câmeras durante a produção de Liga da Justiça. Buchanan revelou que o roteiro já estava passando por turbulências muito antes de Joss Whedon chegar para reescrever o material e refazer algumas partes do filme.

Aparentemente, John teria reescrito muitas cenas e irritado bastante Chris Terrio, o roteirista original, ainda na época em que Zack Snyder estava envolvido no projeto. O caos nos bastidores aumentou quando Snyder mostrou a primeira versão de Liga da Justiça para os executivos da Warner Bros., que não ficaram felizes com o resultado.


Por causa disso, vários diretores e roteiristas foram chamados para discutir o projeto, incluindo Allan Heinberg, Seth Grahame-Smith e Andrea Berloff, até que Joss Whedon fosse escolhido para assumir. Whedon, então, foi contratado pela Warner Bros. para reescrever o roteiro original e filmar novas cenas, mudando a visão original de Snyder. O filme recebeu muitas críticas e teve a pior performance nas bilheterias entre os longas do Universo Estendido DC.

O fracasso do filme supostamente foi responsável por dar uma sacudida na Warner Bros. em relação ao DCEU, que já tem o filme do Aquaman prestes a ser lançado em 21 de dezembro de 2018. No ano seguinte, serão lançados Shazam! e Mulher-Maravilha 1984.

Este texto foi escrito por Juliana de Carvalho via nexperts.