Nem tudo foi comédia nos bastidores de duas das mais aclamadas sitcomsnesta semana. Tudo começou com uma suposta declaração de Ed O’Neill (o Jay de Modern Family) de que Jane Lynch (a Sue de Glee) não merecia ter ganho o último Emmy de melhor atriz coadjuvante de comédia.

“Eu amo a Jane, realmente eu a adoro”, teria dito o ator, “mas não acho que ela devia ter ganhado o Emmy por aquele papel”. E explicou o porquê de sua opinião, declarando que Sue Sylvester era uma personagem monótona. E tem mais: O’Neill teria dito então que quem merecia o prêmio era Sofia Vergara, que interpreta a sua esposa Gloria em Modern Family.

Procurada por jornalistas, Jane Lynch preferiu não colocar lenha na fogueira: “vamos deixar isso para lá, é isso é o que faremos”.



Palavras do ator criam ti-ti-ti nos bastidores.


Enquanto isso, O’Neill estava tentando reparar os estragos da declaração anterior em entrevista à EW: “Eu nunca disse, nem acredito, que Jane – quem eu acho que tenha um grande talento – não merecia o prêmio. Eu tentei falar com ela ontem para assegurar-me de que ela sabia que eu tinha sido mal-interpretado, mas eu também queria deixar isso claro publicamente”.

A notícia com as palavras ofensivas de O’Neill foi publicada originalmente pelo TV Guide Canada, que, em poucos dias, tirou a matéria do ar e postou uma retratação no site por ter citado erroneamente as palavras do ator, quando ele comentou sobre o Emmy.



O que Sue teria respondido à Ed O'Neill?


Segundo a editora-chefe do site, as palavras exatas de O’Neill naquela ocasião foram: “Eu sou um dos grandes fãs de Jane Lynch. Ela é um gênio. Mas ao mesmo tempo eu disse ‘Sophia poderia ter ganhado’ porque... eu só tinha visto alguns episódios de Glee... Eu só tinha visto Gleeuma vez. Mas eu achei que o personagem de Jane era unidimensional. É meio estridente. É meio que sempre o mesmo. Eu já a vi ser muito melhor. Então pensei ‘Sofia é mais engraçada’, e acho que ela seja, se compararmos os dois papéis. De qualquer maneira, Jane ganhou. Mas eu estava torcendo para que tivesse sido Sophia”.