Não é de hoje que as séries de TV deram um salto de qualidade e se arriscaram, muitas vezes mais do que o cinema. Com isso, somos presenteados com temas corajosos, desafiadores e criativos. Com uma liberdade maior, os roteiristas deixam florescer as ideias, digamos, mais provocativas que se tem em mente, transpondo para a tela cenas tanto violetas e chocantes quanto sensuais e provocativas.

Quem nunca se sentiu um pouco incomodado quando estava assistindo àquela série acompanhado e, de repente, começou uma cena um tanto quanto constrangedora? Por isso, apresentamos 13 séries que você deveria curtir sozinho (ou pelo menos longe dos pais). Um pequeno spoiler: a HBO é a campeã da lista, mas o Showtime não fica atrás.

1. Entourage (HBO)

A série sobre um ator de Hollywood e sua turma tentando fazer sucesso em Hollywood foi exibida na HBO entre 2004 e 2011. Não seria uma produção da HBO se não tivesse nudez frontal sem vergonha nenhuma, né? Mas essa série é leve perto da próxima.

2. True Blood (HBO)

Também da HBO, True Blood reúne toda a bizarrice possível em uma série de TV. E pelo menos nas primeiras temporadas, isso funcionava de maneira genial. A história sobre vampiros vivendo normalmente na sociedade falava sobre religião, drogas e explorava a sexualidade em níveis estratosféricos.

3. Queer as Folk (Showtime)

Queer as Folk mostrava um grupo de homens e mulheres gays vivendo os dramas e as dúvidas da vida adulta. A série foi a primeira a apresentar uma história sob o ponto de vista 100% LGBT. Nem a versão orignal britânica (com apenas duas temporadas) nem a americana (com cinco) tiveram medo de colocar cenas de sexo e nudez, sempre tratando de temas que eram tabus de forma muito ogânica.

4. The L Word (Showtime)

Assim como Queer as Folk, The L Word tem papel importante na televisão ao focar na comunidade lésbica de Los Angeles. A série discute temas como amizade e família, mas sem deixar de inserir cenas bastante quentes na tela.

5. Californication (Showtime)

Com esse nome sugestivo, Californication marcou o retorno de David Duchovny à TV depois de anos, para interpretar Hank Moody, um escritor que se muda para um subúrbio da Califórnia para tentar se livrar do seu vício em sexo. Só a primeira cena da série já mostra Hank fazendo sexo com uma freira dentro da igreja. Gente!

6. Girls (HBO)

A série escrita, produzida e dirigida por Lena Dunham contava a história de quatro garotas vivendo os dissabores do início da vida adulta em Nova York. Sempre controversa, Dunham inseriu várias cenas de nudez e sexo nada glamourizadas ou gratuitas para discutir feminismo e outros temas importantes.

7. Looking (HBO)

Considerada por alguns a versão masculina (e gay) de Girls, Looking durou apenas duas temporadas na HBO e contava a história de três amigos vivendo em São Francisco. A série era mais delicada do que Girls em determinados assuntos, mas não amenizava nas cenas de sexo.

8. Westworld (HBO)

A segunda temporada de Westworld acabou de começar na HBO, e você já sabe por que ela está na lista, né? É só lembrar da cena de orgia do parque. Além disso, o conteúdo de violência é de chocar até os mais transgressores.

9. Masters of Sex (Showtime)

A série da Showtime conta a história de William Masters e seus estudos sobre a sexualidade humana, sempre ao lado da assistente Virginia Johnson. Como você já deve saber ou imaginar, ela é repleta de cenas sensuais e provocativas, mas a câmera, aqui, não é tão liberta quanto às das séries da HBO, por exemplo. Ainda assim, fica sempre aquela sugestão de que algo forte aconteceu.

10. Roma (HBO)

Roma foi a série mais cara da história da HBO e da BBC e tem cenas surreais de violência e muito, muito sexo explícito. Infelizmente, ela durou apenas duas temporadas, devido ao alto custo.

11. Orange is the New Black (Netflix)

Tudo bem, a série da Netflix não tem tantas cenas para maiores de 18, mas se você estiver com alguém mais reservado ao seu lado no sofá, pode sentir um pouco de vergonha. A história acompanha a rotina em um presídio feminino e os dramas e as vitórias daquelas mulheres.

12. Shameless (Showtime)

A versão americana de Shameless tem bastante sexo para contar a história de uma família disfuncional e meter o dedo na ferida dos norte-americanos, que geralmente não abordam esse tipo de assunto. Basicamente, a série mostra Frank Gallagher, um pai solteiro e desempregado que vive bebendo.

13. Game of Thrones (HBO)

Não dava para não falar, né? Desde cenas fortíssimas, como a do Casamento Vermelho, até sexo entre irmãos, Game of Thrones definitivamente não é recomendada para assistir com sua vovozinha ao lado (a não ser que ela seja moderninha, claro).

Este texto foi escrito por Rodrigo de Lorenzi via nexperts.