Marvel’s Jessica Jones acaba de chegar à Netflix, apresentando uma nova heroína do bairro Cozinha do Inferno, o mesmo lar do Demolidor!

Há muita expectativa em relação ao programa, ainda que a personagem seja uma desconhecida para o grande público. Abaixo, reunimos algumas informações sobre Jessica Jones, sua origem nos quadrinhos e o que podemos esperar da adaptação. Desta maneira, você pode se preparar para a maratona com a heroína.

Fonte da imagem: Divulgação/Netflix, Marvel

Origem nos quadrinhos

Jessica Jones é uma personagem relativamente recente da Marvel Comics, que teve sua primeira aparição nos quadrinhos Alias, escrita por Brian Michael Bendis, em 2001. A revista acompanhava o trabalho de Jessica como detetive particular pela agência Alias Investigações na cidade de Nova York.

Durante sua infância e início da adolescência, Jessica foi colega de sala do jovem Peter Parker, quando ainda era conhecida como Jessica Campbell. Depois que seus pais morreram em um acidente de carro – envolvendo um caminhão militar que carregava carga radioativa, o que acabou lhe dando superforça e capacidade de voar – ela foi adotada pela família Jones e, eventualmente, passou a se tornar a heroína Safira.

Montagem reúne fases de Jessica nos quadrinhos. Fonte da imagem: Reprodução/Marvel Comics

Seus dias como heroína, no entanto, tiveram curta duração. Jessica foi vítima de Zebediah Killgrave, o Homem-Púrpura, originalmente um inimigo do Demolidor. O vilão usou seus poderes de controle mental para colocar Jones sob seu comando, psicologicamente torturá-la e forçá-la a ajudar em seus esquemas criminosos. Depois de oito meses, Jones começou a perder a distinção entre o que era verdade e o que era criado pelos poderes de Killgrave.

A natureza profundamente violenta do encontro com o Homem-Púrpura fez com que ela desistisse de sua vida como vigilante. Jones abriu então uma agência de detetives particulares. No entanto, a maior parte dos seus casos era relacionada à vida dos mascarados, envolvendo inclusive a identidade secreta do Capitão América.

Apesar de seu desejo de deixar a vida de super-heroína, ela se viu repetidamente atraída de volta para esse mundo. Carol Danvers, a Capitã Marvel, apresentou Scott Lang (o segundo Homem-Formiga) para Jessica e os dois acabam namorando por alguns meses. Posteriormente ela teve alguns encontros com o Luke Cage – com quem ela casou e teve um filho.

Como a série se distancia dos quadrinhos

Na série da Netflix, não veremos a fase de Jessica Jones como super-heroína, mas vamos acompanhar a personagem como uma detetive particular da agência Alias Investigações. Jessica sofre de estresse pós-traumático, como resultado de seu tempo sob o controle do vilão Kilgrave (que tem um "L" a menos em seu nome no programa).

Diferente dos quadrinhos, Jessica não foi adotada pela família Jones na série, mas sim pela família de Trish Walker, uma ex-estrela infantil que virou uma celebridade no rádio e que também é a melhor amiga de Jessica.

Jessica ao lado de Jeri Hogarth e Trish Walker. Fonte da imagem: Divulgação/Netflix, Marvel

Nos quadrinhos, Jessica era amiga de Carol Danvers, mas como a Marvel planeja um filme da Capitã Marvel, a personagem foi substituída por Trish, que é, na verdade, Patsy Walker, também conhecida nas HQs como a heroína Gata do Inferno!

A figura de Jeryn Hogarth também passou por uma mudança na série da Netflix. O advogado dos quadrinhos é agora uma mulher, interpretada por Carrie-Anne Moss – alguém que poderá ter ligação direta com a futura série do Punho de Ferro.

Finalmente, o personagem de Luke Cage, que é marido de Jessica nos quadrinhos, serve como um potencial interesse amoroso na série, mas o relacionamento dos dois é muito mais complicado do que parece. Luke Cage terá sua própria série pela Netflix no ano que vem.

O que esperar da adaptação

Como forma de preparar os leitores e os espectadores, a Marvel Comics publicou uma edição especial de uma história em quadrinhos da Jessica Jones da Netflix, mostrando uma prévia da narrativa da série. O material, que você pode ler gratuitamente e na íntegra aqui, mostra Jessica visitando um bandido no hospital e descobrindo a existência do Demolidor nas ruas da Cozinha do Inferno.

O vilão Kilgrave deve ser um dos destaques da série. Fonte da imagem: Divulgação/Netflix, Marvel

Apesar de dar continuidade ao universo Marvel na Netflix depois de Demolidor, Jessica Jones segue sua própria história. A trama parece muito mais pessoal e íntima para a heroína. O programa é descrito como um noir, seguindo a detetive particular durona que se automedica com sexo e bebida, e que ganha a vida tirando fotos de maridos e esposas infiéis.

Marvel’s Jessica Jones é considerado menos violento do que Demolidor, mas seu impacto é na verdade muito mais psicológico do que físico. A série explora os temas sombrios associados a Kilgrave, seus poderes e seus efeitos na vida de Jessica. Novamente, parece que é o vilão quem rouba as cenas, já que o Kilgrave de David Tennant tem tudo para ser tão cativante quanto o Rei do Crime de Vincent D'Onofrio.

E aí, já deu início à sua maratona de Marvel's Jessica Jones? O que está achando? Aguarde em breve nossa review especial sobre a série!