Fonte da imagem: Divulgação/HBO

Você pagaria R$ 15 mil para passar algumas horas com uma garota de programa? Abordando um tema que ainda é visto com olhos tortos pelos brasileiros, O Negócio é o clássico tipo de série que vai além da missão de ser um simples entretenimento e passa a quebrar alguns tabus retrógrados que ainda persistem em existir em algumas esferas da sociedade. Tratar de prostituição em um seriado televisivo é uma atitude ousada, mas o seriado conseguiu lidar com o assunto da forma mais natural e bem-humorada possível.

A convite da HBO, o Minha Série assistiu hoje (11) ao primeiro capítulo da segunda temporada de O Negócio, que vai ao ar no dia 24 de agosto às 21h. Ela segue narrando a história de Luna (Juliana Schalch), Karin (Rafaela Mandelli) e Magali (Michelle Batista) — um trio de jovens paulistanas que decidem virar acompanhantes e passam a aplicar conceitos de marketing para construir uma verdadeira grife de luxo. Recebendo milhares de reais por programas, as garotas fundam uma marca própria (a “Oceano Azul”), elaboram cartões de visitas, contratam uma secretária particular e logo se tornam as mulheres mais cobiçadas por executivos da elite.

A segunda temporada, contudo, foca menos na construção da marca e mais na gestão da própria — um erro comum de muitos empreendedores é achar que seu trabalho está concluído quando seu negócio já está no topo do ranking. Não poderia ser diferente com as protagonistas, que começam a ser vítima de pirataria. É, você não leu errado: as coisas começam a complicar quando Karin descobre que existe outra garota de programa se apresentando com o mesmo nome e com o mesmo cartão de visitas, mas cobrando apenas R$ 1,5 mil de seus clientes por cada “sessão”.

Fonte da imagem: Divulgação/HBO

A vida não é feita apenas de trabalho

Além de tratar dessa mescla inusitada de prostituição e empreendedorismo, a segunda temporada de O Negócio se mostra bem mais “humana” do que a primeira. A vida pessoal das personagens é explorada de forma mais profunda: ao mesmo tempo em que tenta salvar sua grife lutando contra a pirataria, Karin se vê indecisa sobre continuar exercendo sua profissão ou abandonar o “nome de guerra” para viver uma vida mais tranquila com seu namorado Augusto.

Por outro lado, Magali precisa lidar com Zanini (Kauê Teloli), um advogado que se apaixona perdidamente por ela e não para de persegui-la por um único minuto. Luna enfrenta dois problemas em sua vida pessoal: seu relacionamento com o inocente Yuri (que finalmente lhe pede em casamento) e sua ligação com Oscar, que decide virar garoto de programa.

O conflito entre vida pessoal e profissional causa algumas situações bastante inusitadas, mas um tanto reais e comuns na sociedade moderna. Afinal, atire a primeira pedra quem nunca teve a produtividade no trabalho prejudicada por causa de problemas familiares (e vice-versa). Mais uma vez, quebrando preconceitos e tratando um assunto polêmico com uma naturalidade invejável, O Negócio mostra que um profissional do ramo da prostituição pode ter uma vida comum em consonância com seu trabalho.

Fonte da imagem: Divulgação/HBO

Uma obra nacional de altíssimo nível

Demandando um investimento levemente maior da HBO, a segunda temporada de O Negócio parece seguir o mesmo nível de qualidade que os espectadores já conferiram na primeira temporada.

Os capítulos — de uma hora cada — são recheados de bons diálogos, algumas piadas descontraídas e uma excelente atuação de todo o elenco (com destaque para o personagem Ariel, interpretado por Guilherme Weber, que conquista rapidamente com seu carisma inigualável). Retratando cartões-postais de São Paulo, muitas cenas do seriado mostram regiões da cidade conhecidas por ser pontos de encontro da elite brasileira, como prédios de luxo do Morumbi e edifícios corporativos da Berrini.

Vale a pena ficar de olho para a estreia desta nova temporada — e, se você não acompanhou a primeira, não perca tempo e vá assisti-la agora mesmo. Não é todo que se vê uma produção nacional de tamanha qualidade e inovação. Dependendo da recepção do público, é bem provável que O Negócio chegue a receber uma terceira temporada (ainda que nada esteja confirmado no momento, esse parece ser um dos desejos dos produtores do seriado). Marque o dia 24 de agosto na sua agenda e confira!