Uma bomba caiu em Hollywood na noite desta última quarta, dia 16: Bryan Singer (roteirista, diretor e produtor de diversas séries e filmes, como House e a franquia X-Men, inclusive o Dias de Um Futuro Esquecido, que estreia em maio nos cinemas) é acusado, em um processo federal americano, de ter cometido, em 1999, violência sexual contra um rapaz de 17 anos, em propriedades em Los Angeles e no Havaí, onde armas de fogo, drogas e álcool teriam estado presentes.

Bryan Singer em março de 2014. Fonte da imagem: Getty Images

Desde que a acusação veio à tona, mais novidades ocorreram envolvendo este caso e, nesta matéria, trazemos um panorama dessas consequências até a manhã desta sexta, dia 18.

O caso em 1999

O caso teria acontecido quando Bryan Singer, hoje com 48 anos, estava com 34. Michael F. Egan III, o autor do processo que detalha bastante graficamente o ocorrido, hoje tem 31 anos e mudou-se para Los Angeles enquanto adolescente, para seguir a carreira de atuação. Ele diz que Singer e outros ameaçavam ajudar ou destruir sua carreira de ator em Hollywood, usando isso como chantagem para cometer as violências.

De acordo com o processo, outros envolvidos no abuso eram Marc Collins-Rector e Chad Shackley, diretores de uma companhia de streaming de vídeos. Mais tarde, em outro caso, Collins-Rector foi condenado por transportar menores pela fronteira para trabalho sexual, e hoje é registrado como agressor sexual.

Advogado de Singer descarta acusações

Michael Egan em conferência de imprensa. Fonte da imagem: Reprodução/El Diario Montanes

O advogado do diretor refutou as acusações pouco tempo depois de elas terem ido a público: "As alegações feitas contra Bryan Singer são completamente sem mérito", disse o representante legal do produtor, Marty Singer. "Estamos bastante confiantes de que Bryan será vindicado nesse processo absurdo e difamatório. É óbvio que este caso foi apresentado em uma tentativa de conseguir publicidade na época do novo filme de Bryan [X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido], que está prestes a estrear em algumas semanas".

Mais tarde, em uma declaração oficial à imprensa, o advogado do produtor diz que as acusações são "completamente fabricadas" e promete que entrará com sua própria ação judicial por "perseguição maliciosa contra o Sr. Egan e seu advogado", depois de vencer esse atual caso na justiça.

Processo de Michael Egan em 2000 não cita Singer

Poucas horas depois do caso explodir na internet, foi divulgado um processo de Michael Egan de 2000, no qual ele acusa os já citados nesta matéria Marc Collins-Rector e Chad Shackley de abuso sexual em festas de 1999, no entanto Bryan Singer não é listado. A ação judicial traz diversas alegações e descrições que são repetidas no processo que veio à tona mais recentemente.

"Está claro que essas declarações [mais recentes] foram fabricadas", disse o advogado de Singer em entrevista ao Hollywood Reporter. "Se Bryan tivesse feito algo errado, ele teria sido incluído nesse antigo processo", completou. "Ele entrou com uma ação judicial usando linguagem e alegações idênticas [à antiga ação]? Isso é uma prova conclusiva", disse o advogado de Bryan Singer ao The Wrap, referindo-se ao que ele chama de difamação do famoso diretor.

"Hollywood tem um problema com a exploração sexual de crianças", disse anteriormente o advogado de Egan, Jeff Herman, que lida com vários casos de violência sexual ao redor do país. "Esse é o primeiro de muitos casos que estarei defendendo para dar a essas vítimas uma voz e expor o problema".

Autor da ação faz conferência de imprensa

Michael Egan e seu advogado Jeff Herman. Fonte da imagem: Reprodução/The Hollywood Reporter

Em uma conferência de imprensa, na última quinta, dia 17, ao lado de seu advogado, Michael Egan falou mais detalhes chocantes sobre o que teria passado durante a violência sexual supostamente cometida por Bryan Singer e outros, dizendo ter sido vítima do diretor de X-Men desde quando tinha 15 anos até os 17. Ele diz que, aos 17, reportou, com sua mãe, a autoridades da polícia e do FBI, mas que a acusação "basicamente caiu em ouvidos surdos".

Na conferência, o advogado Jeff Herman disse que tem diversos outros processos que planeja colocar em ação nos próximos dias e semanas.

Propagandas fora do ar e cancelamento de ida a convenção

Depois da conferência de imprensa de Egan, a Fox emitiu uma declaração oficial, dizendo: "Essas são alegações sérias e elas serão resolvidas no fórum apropriado. Isso é uma questão pessoal, à qual Bryan Singer e seus representantes vão se referir separadamente".

Na mesma quinta, dia 17, segundo o Deadline, a ABC resolveu não colocar no mais no ar, pelo menos por enquanto, as propagandas da nova série Black Box que mencionam Bryan Singer, que trabalha como produtor-executivo do novo título. Black Box estreia na próxima quinta, dia 24, na televisão americana.

Por fim, segundo o Deadline, Singer cancelou a sua ida à convenção de quadrinhos, ficção científica e cinema, WonderCon, realizada neste final de semana. Em seu lugar, a Fox enviará Simon Kinberg para promover seu grande lançamento X-Men: Dias de um Futuro Esquecido. Kinberg trabalhou como roteirista e produtor do novo longa-metragem, além de fazer parte da franquia desde o início.