Depois de cancelar a série Lucifer e provocar uma imensa repercussão nas redes sociais, o presidente da FOX americana, Gary Newman, explicou nesta segunda-feira (14) a polêmica decisão de acabar com o programa.

Em coletiva com a imprensa durante a apresentação nos Upfronts 2018 da TV norte-americana, Newman contou que foram os números de audiência que levaram ao cancelamento de Lucifer.

“Foi uma decisão baseada em audiência; tivemos sucesso com quatro novas séries que estrearam no último ano e foram renovadas”, disse o executivo da FOX. “Nós percebemos que em termos de desempenho, precisávamos fazer essa mudança".

Newman estava se referindo aos programas 9-1-1, The Resident, The Gifted e The Orvillerenovados para suas 2ª temporadas para o ciclo 2018-2019 da TV americana – que não deixaram espaço para Lucifer na grade da emissora.

Apesar da explicação do presidente da emissora, precisamos notar que Lucifer não tinha uma audiência tão baixa, ficando apenas 0.1 atrás da média de The Resident e The Gifted, por exemplo.

Por outro lado, um dos fatores que mais pesaram nas decisões das emissoras este ano é a verticalização dos conglomerados, com os canais preferindo encomendar séries dos estúdios da casa.

Assim, a FOX privilegiou as séries da 20th Century Fox Television (o que explica ressuscitar Last Man Standing!), em detrimento de programas produzidos por companhias de fora, como Lucifer (da Warner Television).

Confira o histórico do cancelamento de Lucifer:

O que achou da explicação da FOX por cancelar Lucifer prematuramente? Comente abaixo.

O Minha Série está com uma novidade: a newsletter Intervalo! Semanalmente, a news entrega conteúdos exclusivos em um formato divertido e informal, que te deixará por dentro dos assuntos mais quentes do mundo do entretenimento. Assine aqui!