Recentemente, o CEO da Disney, Bob Iger, falou sobre a futura plataforma de streaming prevista para ser lançada em 2019. Apesar de não ter especificado uma verba para produção de conteúdo, declarou que o serviço será capaz de competir com a Netflix, mas que vai “investir menos em volume” do que a concorrente, que tem gastos cada vez maiores. “Nós temos a oportunidade de gastar mais com produtos originais, mas não necessariamente no mesmo volume que a Netflix, porque nós temos essa marca única”, disse.

Ainda sem nome, a plataforma de streaming da Disney trará uma combinação de títulos antigos e novos das maiores marcas da empresa. Logo no início, o serviço tem planos de lançar séries das populares Star Wars, Monstros S.A., Marvel e High School Musical, e a facilidade de chegar ao mercado com esses grandes nomes deve fazer com que a empresa possa investir menos em produção e se preocupar mais com branding.

O CEO anunciou também que a Disney está trabalhando em algumas (sim, no plural) séries exclusivas de Star Wars para o serviço de streaming. “Estamos perto de revelar um dos criadores por trás da primeira série, mas o negócio ainda não foi fechado”, disse.

Uma das maiores questões que Iger abordou foi quanto à presença de produções da Disney na Netflix, já que foi anunciado que o acordo entre as empresas expira em breve. “O acordo com a Netflix termina com o ‘quadro de 2018’. Eles terão direitos para os filmes feitos em 2016, 2017 e 2018 por um longo período depois disso, com uma janela para nós mesmos possamos os usar dentro do período de tempo (...) em que eles terão esses direitos. Os filmes que o nosso estúdio fizer de 2019 para frente serão autolicenciados ou licenciados para a nossa própria plataforma, e isso inclui filmes da Marvel, da Pixar, da Disney e da Lucasfilm”.

A plataforma de streaming da Disney ainda não tem um valor definido, mas Iger já declarou anteriormente que custará menos do que o valor padrão da Netflix.

Veja também: Serviço de streaming da Disney: 5 primeiros detalhes revelados!

Este texto foi escrito por Juliana de Carvalho via n-Experts.