Quem nunca terminou um projeto e detestou o resultado final? Por incrível que pareça, também acontece com diretores famosos de filmes. Afinal, nem sempre as coisas saem como o planejado.

Seja por interferência do estúdio, por dificuldade de passar o que está no roteiro para as telas, por corte no orçamento ou até por brigas interna nos bastidores, muito diretores preferem nem comentar certos filmes, tamanho o arrependimento!

Relembramos 10 diretores famosos que simplesmente detestaram suas criações depois de prontas. Confira!

10. Woody Allen – Noivo Nerótico, Noiva Nervosa; Hannah e suas Irmãs; Crisis in Six Scenes

Noivo Neurótico, Noiva Nervosa talvez seja o filme mais famoso de Allen, mas ele achou o resultado final bastante incoerente e acredita que o público não entendeu nada da relação entre a personagem dele e a de Diane Keaton. Outra decepção para o diretor foi Hannah e suas Irmãs, pois ele considera o final otimista demais. Allen também detestou Crisis in Six Scenes, que, embora seja uma série de TV feita para a plataforma streaming Amazon, mais parece um filme esticado e cortado em seis partes. Allen confessou que, a partir do momento em que aceitou o projeto, detestou cada segundo, dizendo que ele não sabia fazer seriados e que estava penando para concluir o enredo. O resultado pode ser visto na tela: uma série antipática e sem graça.

9. David Fincher – Alien 3

A série de filmes Alien tem um histórico ruim com sua equipe. Em 1992, David Fincher e o estúdio Fox travaram uma batalha interna para a conclusão de Alien 3. Fincher era obcecado por pequenos detalhes e gravações intermináveis, o que fez com o que o estúdio pedisse até o afastamento do diretor. Ele, aliás, começou a produção do filme antes mesmo de o roteiro ser finalizado, o que rendeu uma dor de cabeça na equipe, quando os roteiristas precisaram escrever cenas rapidamente para que fossem filmadas.

Quem também sofreu com a série Alien foi Joss Whedon, o criador de Buffy, a caça-vampiros. Na verdade, ele foi apenas o roteirista de Alien: A Ressurreição, mas saiu frustrado da experiência depois de o estúdio ter destroçado seu roteiro, que ficou bem diferente do que ele tinha escrito.

8. Sam Taylor-Johnson – Cinquenta Tons de Cinza

O maior arrependimento de Sam Taylor-Johnson talvez tenha sido topar fazer o primeiro filme da franquia Cinquenta Tons de Cinza. A diretora não só odiou o resultado final, como também enfrentou brigas constantes com a autora do livro, E.L. James. A diretora queria, por exemplo, alterar os diálogos do livro para que ficassem mais naturais na telona, mas a escritora não autorizou, o que deixou o longa bastante estranho (e até provocou risos na plateia durante o Festival de Berlim). Sam Taylor-Johnson pediu demissão logo após o lançamento do primeiro filme.

7. Alfred Hitchcock – Festim Diabólico

Festim Diabólico é bastante citado nas escolas de cinema como um dos mais experimentais de Alfred Hitchcock, e seus planos-sequência são estudados até hoje. Mesmo assim, Hitchcock não gostou muito, não, e a filmagem foi extremamente estressante para toda a equipe, o que fez o diretor afirmar que rodar o longa foi uma experiência que não deu certo. A gente discorda, né?

6. Josh Trank - Quarteto Fantástico (2015)

O diretor Josh Trank enfrentou muitos problemas com Quarteto Fantástico em 2015, os quais refletiram na reação da crítica e no público, que detestaram o resultado final. Novamente a culpa caiu na cabeça do estúdio. Trank disse que a Fox resolveu cortar e editar várias partes do filme sem a presença do diretor na sala de montagem, além de pedir várias refilmagens. Trank chegou a publicar em seu Twitter, logo após o lançamento do filme: “Um ano atrás, eu tinha uma versão fantástica disso. E teria recebido ótimas críticas. Vocês provavelmente nunca a verão. Essa é a realidade, no entanto".

5. Tony Kaye – A Outra História Americana

Uma confusão e brigas intermináveis marcaram a produção de A Outra História Americana, um dos filmes de maior sucesso do diretor Tony Kate. Ele odiou os cortes e as edições da produtora New Line, disse que o filme tem tiros e choros demais e que o roteiro era ruim. Como se não bastasse, Kaye também não gostava de Edward Norton e desde o início não queria trabalhar com o ator, pedindo que o substituíssem por outro.

4. Stanley Kubrick – Medo e Desejo

Aqui a gente até dá um desconto ao mestre Stanley Kubrick, porque Medo e Desejo (1953) foi seu primeiro longa, mas a verdade é que ele odiou tudo. Segundo o diretor, há tantos erros de filmagem que ele sentia vergonha. Kubrick chegou ao ponto de comprar os negativos originais para evitar que as pessoas assistissem. Anos mais tarde, ele seria criticado por Stephen King, que odiou sua adaptação de O Iluminado.

3. Paul Haggis – Crash – No Limite

Lembra quando, em 2006, o filme Crash No Limite tirou o Oscar do favorito O Segredo de Brokeback Mountain, e muita gente achou injusto? Pois o próprio diretor do filme concordou. Não é que Paul Haggis tenha odiado sua própria obra (afinal, o longa ganhou o prêmio máximo do cinema), mas ele afirmou em uma entrevista que havia filmes muito melhores na lista e que não votaria em Crash o que soou um pouco estranho.

2. Sam Raimi – Homem-Aranha 3

Não foi só o público que não curtiu muito Homem-Aranha 3. Sam Raimi disse em entrevistas que tentou de todas as formas sentir que estava fazendo um bom filme, mas ele não acreditava na história nem nas personagens. O resultado foi uma enxurrada de críticas negativas após dois longas muito bem avaliados e queridos pelo público.

1. Orson Welles – Cidadão Kane

Cidadão Kane ocupa o topo de melhor filme da história do cinema há muitos anos, e dificilmente alguém vai superá-lo algum dia, mas o diretor Orson Welles acreditava que o longa não era tão bom assim. Sabe por quê? Ele simplesmente achou que poderia ter feito melhor. Que autocrítica exagerada, né?

Conhece mais diretores que odiaram suas obras? Comente aqui com a gente!

Este texto foi escrito por Rodrigo de Lorenzi via N-experts.