O ator Stephen Amell se juntou às vozes do Arrowverse que comentaram sobre a recente acusação de assédio contra um dos produtores das séries da DC/CW.

Em um vídeo publicado no Facebook, o ator disse estar disposto a ajudar a investigação da Warner Television e expressou solidariedade com seus colegas de elenco e equipe: “Se você não é parte ativa da solução, então você é parte do problema”, declarou o astro.

Na última sexta-feira, o produtor Andrew Kreisberg foi suspenso de suas funções nas séries da CW enquanto a Warner Bros. TV investiga as alegações de má conduta no set. O produtor foi acusado por 19 pessoas, que relataram casos de toque inapropriado, pedidos de massagens, comentários de teor sexual sobre a aparência de mulheres, além de beijos sem permissão.

Na segunda-feira, as atrizes Melissa Benoist (a Supergirl) e Emily Bett Rickards (a Felicity de Arrow) comentaram a polêmica através das redes sociais. Agora, o ator Stephen Amell deixa sua opinião sobre o caso, informando que antes de fazer um comunicado público, conversou com integrantes da equipe.

Confira abaixo o vídeo postado por Stephen Amell e a tradução de sua declaração.

Tradução da declaração de Amell:

Não tenho interesse em falar sobre uma investigação em andamento, além de dizer que a Warner Bros. está conduzindo uma investigação sobre o que está sendo alegado contra um dos produtores de nosso programa, e se eles precisarem da minha ajuda de alguma forma, eles a terão.

Eu achei apropriado, antes de falar com vocês ou antes de falar publicamente, que deveria conversar com nosso elenco e nossa equipe, o que eu tive a chance de fazer esta manhã. Eu certamente não posso pontificar de forma tão eloquente ou de maneira tão sucinta como Emily, Melissa e Caity Lotz fizeram. Eu dou total apoio a tudo o que elas disseram.

Nosso maior trunfo em Arrow é a nossa equipe, e mais do que isso, a nossa maior força é trabalhar em equipe. Eu acho que podemos fazer isso porque promovemos e defendemos um ambiente de trabalho seguro e progressivo. Eu disse a eles esta manhã, o que eu conto para vocês agora, que se alguém se sentir menos do que 100 por cento seguro, ou se sentir que não pode se expressar ou ser a pessoa que é, que eles deveriam procurar quem for preciso e que eles terão o apoio, se assim eles precisarem.

Eu também acho que em situações como esta, se você não é parte ativa da solução, então você é parte do problema. Ponto. É isso. Fazemos o nosso melhor para ter o melhor ambiente de trabalho possível. Continuaremos a fazer isso. Mais uma vez, eu assino embaixo das declarações feitas por minhas amigas e colegas de trabalho Emily Bett Rickards, Caity Lotz e Melissa Benoist, e o coro de outras pessoas que se apresentaram e pedem por um ambiente de trabalho seguro, progressivo e igual.