O primeiro semestre de 2017 foi marcado por mais fracassos do que sucessos nos cinemas. Se de um lado tivemos bilheterias altas para filmes como A Bela e a Fera, Guardiões da Galáxia Vol. 2, Velozes e Furiosos 8 e Mulher-Maravilha; de outro lado, fracassos como Rei Arthur: A Lenda da Espada e A Vigilante do Amanhã – Ghost in the Shell que deixaram estúdios no prejuízo.

Como entramos agora no segundo semestre do ano, é hora de verificar quais foram as produções que representaram os maiores fracassos nos cinemas na primeira metade de 2017. Nesta relação, levamos em conta o valor dos orçamentos e as rendas nas bilheterias. Para contabilizar o prejuízo, entendemos que os filmes deveriam arrecadar nas salas exibidores o dobro do valor de seu custo de produção (isso porque as redes de cinema ficam com 50% em média do valor do ingresso).

Vale dizer que algumas produções ainda estão em cartaz nos cinemas e podem melhorar suas arrecadações – especialmente no mercado internacional. É curioso notar também que não foram apenas as superproduções caras que deram prejuízo aos estúdios, mas também filmes de baixo orçamento não encontram seu público.