Especial Westworld: expectativas e comentários da crítica para a nova série da HBO

  • Por Guilherme Haas em 01/10/2016 - 15:35

Após meses de atrasos, rumores sobre problemas de produção, mudança de liderança na emissora e estouros de orçamento, a aguardada ficção científica Westworld finalmente estreia neste domingo, dia 02 de outubro, pela HBO em todo o mundo.

O programa, baseado no livro de Michael Crichton (Jurassic Park) e uma adaptação cinematográfica de 1973, é uma das produções mais ambiciosas e caras da HBO, e passa agora pelo teste de fogo junto à crítica e ao público.

Criada pelo casal Jonathan Nolan (Person of Interest) e Lisa Joy Nolan, e com produção executiva de J. J. Abrams, Westworld traz um elenco de nomes consagrados, liderado por Anthony Hopkins, que interpreta o diretor do parque de diversões ultrarrealista no qual os visitantes podem vivenciar seus desejos mais obscuros.

Fonte da imagem: Divulgação/HBO

Além de Hopkins, o elenco conta também com Evan Rachel Wood, James Marsden, Thandie Newton, Ed Harris e o brasileiro Rodrigo Santoro. A presença de nomes tão conhecidos é um dos motivos do alto valor da série. Especula-se que a primeira temporada de Westworld, com 10 episódios, custou cerca de US$ 100 milhões para a HBO.

Mas o elenco de famosos não é a única razão para o alto preço de Westworld. A produção sofreu com atrasos e regravações que acabaram encarecendo o programa. A série foi aprovada inicialmente em novembro de 2014 visando um lançamento em 2015, mas a tumultuada produção atrasou seu lançamento.

Entre dezembro de 2015 e fevereiro de 2016, a produção de Westworld chegou a ser interrompida enquanto os Nolans voltavam para a fase de roteiro – uma pausa que, na época, foi noticiada como sinal de problemas no programa, mas que posteriormente foi justificada como uma necessidade dos realizadores em mapear a história para as (prováveis) próximas temporadas da série.

Esse planejamento levou a regravações de cenas, o que aumentou o preço do episódio piloto, de 90 minutos de duração, para cerca de US$ 25 milhões (o que representa um custo maior do que os US$ 20 milhões gastos no piloto de Game of Thrones).

Fonte da imagem: Divulgação/HBO

Não são poucos, portanto, os desafios que Westworld precisa enfrentar. Há uma grande expectativa do público para conferir o resultado dessa produção, ao mesmo tempo em que a HBO – que trocou de presidente este ano no meio da produção de Westworld – espera conquistar um grande sucesso para justificar os gastos altos com o programa.

Além disso, a emissora já está atrás de seu próximo grande sucesso, tendo em vista que Game of Thrones se encaminha para o seu fim. “Há essa noção de que seja ou tudo ou nada para Westworld, e entendo as comparações com Game of Thrones, porque são duas séries caras de fantasia, mas o destino da emissora não depende desse programa. Mesmo assim, certamente seria ótimo se ele se conectasse com o público”, disse o novo presidente da HBO, Casey Bloys.

Se depender dos comentários da crítica, porém, a HBO não tem com o que se preocupar. Westworld tem conquistado ótimas avaliações pela imprensa estrangeira, com destaque para o elenco, para o visual do programa e para a mitologia “viciante” – ainda que alguns tenham dito que o começo seja um pouco lento e confuso.

Fonte da imagem: Divulgação/HBO

Abaixo, selecionamos algumas críticas de Westworld para você ter uma ideia do que esperar do programa.

A série estreia neste domingo, dia 02 de outubro, pela HBO. A emissora estará com sinal aberto nas principais operadoras de TV por assinatura no Brasil neste final de semana para apresentar a nova série a todos os espectadores. Não vai perder, hein!

  • Críticas:

A profundidade de Westworld não está nos questionamentos sobre a memória, livre arbítrio, e que nos faz humanos, mas em saber se podemos nos tornar mais humanos do que nos permitimos ser, se nossas histórias podem ser mais ricas e mais significativas do que a nossa cultura permite” (Jeff Jensen, da Entertainment Weekly).

Alguns episódios são melhores do que outros, enquanto Jonathan Nolan e Lisa Joy Nolan fazem o melhor para equilibrar exposição e ação; consideração e decisão; perguntas e respostas. Ajudando a levar essa carga está um grupo verdadeiramente notável de atores, liderado pelo talento de Evan Rachel Wood”. (Ben Travers, da Indiewire).

Westworld não é fácil de entender no início, mas você será fisgado pela narrativa inteligente, o visual poderoso e as atuações cheias de nuances”. (David Wiegand, da San Francisco Chronicle).

A recompensa, além do esplendor visual que podemos esperar de uma produção de grande orçamento da HBO, chega pelo conjunto de personagens que ficam cada vez mais complexos” (Robert Bianco, da USA Today).

Westworld traz novos ângulos sobre antigos temas de ficção científica, honrando o criador do material original no processo, mas é também um produto feito para agradar ao público como outras obras de prestígio da HBO, que saíram das prateleiras geek para se tornarem um sucesso em mainstream” (Mitchel Broussard, da We Got This Covered).

Westworld tem um visual incrível; e os diretores rodaram as cenas de Velho-Oeste com grande efeito. Mas suas cenas ao ar livre calorosamente saturadas e sua aparente esperteza não são suficientes para mascarar a indecisão, condescendência e o vazio do programa” (Maureen Ryan, da Variety).

Para sobreviver como uma série de TV, Westworld precisa preencher a lacuna entre suas ideias fascinantes e a tela em branco sobre a qual elas se projetam. Felizmente, o programa não está tão perdido em seus pensamentos para esquecer que uma série de cowboys robô deve ter tiroteio, assalto ou fuga ocasionalmente. E, embora nunca seja tão claramente satírica quanto o filme original, a série ainda exibe um senso de humor” (Erik Adams, do The A.V. Club).

Você certamente será fisgado pela mitologia da série, trazendo um enigma aparentemente impossível que o pistoleiro de Ed Harris está perigosamente determinado a resolver” (Charlie Mason, da TVLine).

Westworld tem menos heróis que Game of Thrones, que o torna um pouco mais difícil de se relacionar, mas como um bom e instigante quebra-cabeça, ele é atraente e viciante” (Matthew Gilbert, da Boston Globe).

E aí, ansioso para conferir Westworld? Comente abaixo!

Deixe seu comentário