Oscar 2016: prós e contras dos 5 favoritos ao prêmio de melhor filme!

  • Por Guilherme Haas em 05/02/2016 - 19:00

Com cerca de três semanas para o Oscar, ainda é difícil dizer qual é o favorito ao prêmio de melhor filme. A disputa este ano está bem acirrada, e cada dia parece que uma obra diferente assume a liderança da corrida, sendo impossível dizer com certeza quem sairá vencedor do grande prêmio no dia 28 de fevereiro.

Neste momento, A Grande Aposta e Spotlight – Segredos Revelados podem ser considerados os favoritos ao Oscar. Há duas semanas, A Grande Aposta teve uma vitória importantíssima pelo Sindicato de Produtores, que usa o mesmo sistema de votação que a Academia. Já Spotlight conseguiu surpreender e ressurgir na disputa ao sair vitorioso pelo Sindicato de Atores, no sábado passado, dia 30 de janeiro.

Ainda que esses filmes sejam potencialmente os favoritos, não devemos desconsiderar tão cedo outras grandes produções indicadas, como O Regresso, Perdido em Marte e Mad Max: Estrada da Fúria – que ainda têm boas chances de vencer esta disputa.

A Grande Aposta, Spotlight, O Regresso e Mad Max: Estrada da Fúria são os favoritos ao Oscar de melhor filme. Fonte das imagens: Divulgação/Paramount, Open Road, 20th Century Fox, Warner Bros. Pictures

Com um total de 12 indicações (o maior este ano) e com grandes vitórias no Globo de Ouro, incluindo melhor filme dramático, diretor e ator (para Leonardo DiCaprio), O Regresso é uma obra de grande valor artístico e com reconhecidas qualidades técnicas.

Mad Max: Estrada da Fúria teve, como O Regresso, filmagens dificílimas e de alto risco, mas seus desafios se pagaram em um resultado tão alucinante quanto tecnicamente e visualmente deslumbrante.

Perdido em Marte, possivelmente a produção mais tradicional desta seleção, pode ter perdido fôlego ao ficar de fora da categoria de direção, mas o longa é o campeão de bilheterias entre todos os indicados, e um filme muito bem recebido por grande parte do público.

A votação final para o Oscar 2016 começa – entre os membros votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas – no próximo dia 12 de fevereiro, e se encerra no dia 23 a tempo das apurações para a premiação no dia 28.

Considerando os cinco filmes favoritos ao grande prêmio, analisamos abaixo – caso a caso – as campanhas dos longas-metragens, e os prós e contras de cada concorrente. Quem será que leva este Oscar?

A Grande Aposta

O longa, que parece estar levemente em vantagem na disputa, entrou por último na temporada de premiação, quando as pessoas já estavam saturadas dos demais indicados. O desafio da campanha agora é mostrar que, apesar do humor, o longa retrata um caso sério e real da economia americana.

Fonte da imagem: Divulgação/Paramount Pictures

Prós: O filme faz uma abordagem esperta e crítica da crise financeira desencadeada pelo estouro da bolha imobiliária americana de 2008 – e a campanha deveria lembrar os americanos da volatilidade econômica nos dias atuais para tornar o filme ainda mais relevante aos membros votantes.

Contras: A linguagem por vezes técnica demais (mesmo com as explicações didáticas e visualmente estimulantes) pode prejudicar o filme. O “economês” assusta, mas uma boa campanha pode reverter essa impressão.

Spotlight – Segredos Revelados

O longa começou a temporada de premiação como favorito, perdeu um pouco de prestígio no caminho e agora voltou a ganhar destaque. Assim como A Grande Aposta, Spotlight precisa destacar a importância de seu relato histórico, neste caso, contando como o jornal Boston Globe revelou os casos de abuso sexual de menores por padres católicos.

Fonte da imagem: Divulgação/Open Road Films

Prós: Spotlight tem grande apoio da mídia, especialmente dos jornalistas que se identificam com o ambiente da redação, com o gosto pela reportagem investigativa e com a responsabilidade e a ética da profissão (muito bem retratadas na produção). A Academia gosta de premiar obras importantes, com conteúdo e com algo a dizer – exatamente como Spotlight.

Contras: O longa pode parecer uma obra mais tradicional, sem grandes ousadias narrativas do que alguns outros concorrentes. A carreira pouco expressiva do diretor Tom McCarthy pode pesar contra o filme também (o mesmo ocorre como Adam McKay, de A Grande Aposta).

O Regresso

As filmagens complicadas, os atritos nos bastidores e o estouro de orçamento ficam em segundo plano enquanto a campanha do filme enaltece os desafios e a dor de realizar arte (como lembrou o diretor Alejandro G. Iñárritu em discurso de vitória no último Globo de Ouro).

Fonte da imagem: Divulgação/Twentieth Century Fox

Prós: O filme conquistou o maior número de indicações este ano, incluindo algumas (merecidas) surpresas, como Tom Hardy na categoria ator coadjuvante. O apoio de técnicos nas diversas áreas é importante na hora da votação, porque confirma a qualidade de execução da obra. Leonardo DiCaprio é também o favorito ao prêmio de melhor ator, o que ajuda à campanha do filme para o prêmio principal.

Contras: Iñárritu ganhou o Oscar no ano passado por Birdman, e pode ser muito cedo para premiar o cineasta novamente.

Perdido em Marte

O longa-metragem se tornou um grande sucesso nas bilheterias – o maior da carreira do veterano Ridley Scott – e conquistou plateias do mundo inteiro com uma trama que mistura ciência com ficção científica e boas doses de humor (graças ao carisma do ator Matt Damon, excelente na produção).

Fonte da imagem: Divulgação/Twentieth Century Fox

Prós: Para vencer como melhor filme, Perdido em Marte precisa fazer uma campanha semelhante a Argo (2013), que conseguiu a simpatia dos membros votantes depois que Ben Affleck ficou de fora da disputa de direção. Premiar Perdido em Marte como melhor filme seria uma forma de correção pela exclusão de Ridley Scott da categoria de direção.

Contras: Ao se candidatar para o Globo de Ouro nas categorias de comédia (ainda que tenha saído vitoriosa), a campanha de Perdido em Marte recebeu muita crítica e perdeu um pouco de prestígio – especialmente porque deixou a impressão de que o filme não é para “ser levado a sério”. Pode parecer bobagem, mas isso acabou afetando a campanha e pode ser a razão de o longa-metragem ficar de fora de algumas categorias no Oscar.

Mad Max: Estrada da Fúria

Fonte da imagem: Divulgação/Warner Bros. Pictures

A excelência técnica comandada com grande estilo pelo visionário George Miller conquistou a crítica e a Academia, e o filme surpreendeu com 10 indicações ao Oscar. Para ganhar o grande prêmio, a campanha de Mad Max precisa lembrar os votantes dos temas feministas e ecológicos que aborda mesmo entre a ação ininterrupta de sua trama.

Prós: Assim como O Regresso, Mad Max é um caso de superação da equipe de filmagem, que enfrentou uma produção complicada e com vários conflitos nos bastidores, mas que encontrou sucesso nas bilheterias e também com a crítica. O filme conquistou muitos fãs por ser um longa de ação verdadeiramente protagonizado por uma mulher – em uma época em que Hollywood discute o papel da mulher na indústria.

Contras: Mesmo com todas suas qualidades técnicas e temáticas, muitos ainda terão a impressão que o filme não deixa de ser “apenas” uma longa e ininterrupta perseguição no deserto.

Assuntos
Premiações, Cinema

Comentários ( )