Em 22 de novembro de 1995, Toy Story estreou nas salas de cinema dos Estados Unidos como um divisor de águas na história do cinema. No Brasil, a estreia foi um mês depois, em 22 de dezembro, e nesses 20 anos de existência, o longa-metragem de animação ajudou as crianças a entenderem o verdadeiro valor da amizade.

Para comemorar esse marco, o Minha Série traz uma lista de curiosidades sobre os bastidores desse desenho animado computadorizado que ainda encanta gerações.

1. Toy Story foi o primeiro filme de longa-metragem completamente animado por computador. Como ninguém tinha feito isso antes, para ser bem sucedida, a jovem Pixar precisou criar o software e o hardware necessários para tornar o filme virar realidade, enquanto faziam um novo tipo de animação revolucionária.

2. O que mais tarde se tornaria Toy Story começou como um projeto de um especial de fim de ano de meia hora de duração com uma história derivada de um curta-metragem computadorizado que ganhou o Oscar, Tin Toy (que você pode assistir aqui).

3. O personagem que mais tarde se tornaria o vaqueiro Woody começou como um boneco de ventríloquo.

4. O projeto inicial de especial de fim de ano afundou, mas foi resgatado quando a Pixar, presidida por Steve Jobs, entrou em um empreendimento conjunto com a Disney, recebendo US$ 26 milhões para fazer três filmes de animação computadorizada.

5. Na época, os cineastas e engenheiros envolvidos no projeto de Toy Story não sabiam direito o que estavam fazendo e não tinham nenhuma experiência em produção cinematográfica, exceto por curtas-metragens e comerciais. E quem confessou isso foi Ed Catmull, atual presente da Pixar and Disney Animation e engenheiro de software na empresa naquela época.

6. O software criado para fazer Toy Story foi baseado em um programa desenvolvido por Catmull na universidade. Ele foi desenhado para permitir que os animadores, mesmo sem saber muito sobre engenharia, pudessem controlar os movimentos de seus personagens.

7. A ideia de fazer um filme sobre brinquedos veio da própria limitação da tecnologia de animação por computação. As animações ficavam ótimas desde que fossem de objetos: qualquer coisa de formato ou textura mais orgânica ficava com cara de algo de plástico. Foi aí que entraram os brinquedos: que tal um filme sobre objetos de plástico que ganham vida? Isso resolveria o problema!

8. Essas são algumas das imagens originais conceituais do Buzz Lightyear e do Woody:

Fonte da imagem: Reprodução/Time, Pixar

Veja mais na galeria:

9. O nome de Buzz Lightyear foi inspirado em Buzz Aldrin, astronauta da NASA, membro da missão Apollo 11 e o segundo homem a pisar na Lua.

10. O enredo do filme era uma preocupação ainda maior para os cineastas envolvidos no projeto, já que a história do cinema havia provado que grandes filmes só sobrevivem pela sua boa narrativa e não pela sua tecnologia, que, um dia, fatalmente, se tornará obsoleta. Então, os criadores de Toy Story, John Lasseter, Ed Catmull e Andrew Stanton, chamaram alguns nomes como Joss Whedon e Joel Cohen para compor a mesa de roteiristas.

11. Na tentativa de inovar no enredo, a Pixar deu uma atitude mais cínica aos seus personagens do que de costume nas animações e resolveu pular os grandes números musicais, marca registrada dos filmes da Disney.

12. A Disney, que trabalhava em parceria com a Pixar para a produção de Toy Story, ficou hesitante com as primeiras versões da história, que incluíam um Woody não tão carismático assim. O problema cresceu tanto que o projeto chegou a ser encerrado. As mentes da Pixar imploraram por mais duas semanas para colocar a história nos trilhos novamente. Em uma reescrita do filme em ritmo frenético, eles tiveram que encontrar maneiras de fazer Woody e Buzz engajarem o público — uma fórmula que garantiu o sucesso do filme e da companhia.

13. Toy Story ficou no topo das bilheterias por três semanas seguidas, arrecadando um total de US$ 361 milhões em todo o mundo. O filme se consagrou como a maior bilheteria do ano, ultrapassando Batman Forever e Apollo 13, também de 1995.

14. O longa-metragem foi indicado a três Oscars (melhor roteiro original, melhor canção e melhor trilha sonora em comédia), ganhando um prêmio especial da Academia “por desenvolver e inspirar a aplicação de técnicas que tornaram possíveis o primeiro longa-metragem de animação computadorizada”. O filme também recebeu duas indicações ao Globo de Ouro, por melhor filme de comédia e melhor canção para “Amigo Estou Aqui”, que também foi indicada ao Oscar.

15. Desde então, nos últimos 20 anos, a Pixar lançou 15 filmes, somando 26 Oscars e três Grammys.