Análise do filme The Normal Heart: a nova aposta comovente e marcante da HBO

  • Por Victor Teixeira em 20/05/2014 - 17:19

Fonte: Reprodução/HuffingtonPost

The Normal Heart vai muito além de um elenco recheado de estrelas. A epidemia do vírus HIV, que foi abordada no recente Clube de Compras Dallas e no clássico Philadelphia, com Tom Hanks e Denzel Washington, também está presente na nova produção original da HBO Films baseada na peça autobiográfica de Larry Kramer, que foi lançada em 1985.

A história envolve o escritor Ned Week — protagonizado pelo genial Mark Ruffalo (Os Vingadores) —, um homossexual que faz de tudo para compreender a misteriosa doença que assolou a cidade norte-americana de Nova York na década de 80.

O filme aborda os acontecimentos da época, a partir de uma visão crítica das políticas nacionais de sexualidade e da luta de ativistas gays e seus aliados na comunidade médica para expor a verdade sobre o início de uma epidemia que afetou centenas de pessoas e foi ignorada por uma nação que simplesmente fechava os olhos.

Fonte: Reprodução/HBO

No início da década de 80, a epidemia tirou centenas de vidas em apenas alguns dias e muitas mortes precisaram acontecer antes de um posicionamento oficial da Casa Branca. Somente no ano de 1985, o até então presidente norte-americano Ronald Reagan resolveu se pronunciar sobre a AIDS e os casos que já afetavam também os heterossexuais.

Atuações memoráveis e cenas que vão além do estereótipo gay no cinema

Mark Ruffalo está impecável em seu papel e vai fazê-lo sentir na pele todos os problemas que a comunidade gay enfrentou na época. O medo de se revelar um homossexual e ser ignorado pela sociedade é apenas um dos muitos problemas que envolvem a trama.

Ao lado de Ruffalo, você também vai se deparar com a melhor forma de Matt Bomer (White Collar) no papel de Felix Turner, um repórter do New York Times e da Times que foi namorado de Ned. Bomer começa como um rapaz atraente e autoconfiante, que produz artigos sobre as celebridades homossexuais.

No decorrer da trama, o ator consegue transformar completamente o seu personagem em um ser humano sentimental, frágil e que não compreende o vírus com o qual se depara.

Fonte: Reprodução/Swide

As cenas que mostram a relação entre Ruffalo e Bomer são tocantes e refletem o amor intenso entre dois homens que viveram em uma década na qual as festas gays e o sexo eram as únicas coisas que realmente importavam. Mesmo após o personagem de Bomer descobrir que é HIV positivo, Ruffalo dá uma aula de compaixão e solidariedade com o seu personagem Ned.

Para representar a comunidade médica do filme que luta para expor a gravidade do vírus, Julia Roberts (Um Lugar Chamado Notting Hill) entrou na pele da Dra. Emma Brookner, uma médica sobrevivente de paralisia infantil. Roberts transmite perfeitamente o constrangimento de não saber lidar com a doença e a sua profunda frustração em não conseguir comprovar cientificamente que a epidemia não afeta somente a comunidade gay.

O vencedor do Emmy Jim Parsons — conhecido pelo seu personagem Sheldon Cooper na série The Big Bang Theory — incorpora Tommy Boatwright, um ativista gay que faz parte do principal grupo de defensores dessa bandeira em Nova York. Por incrível que pareça, Parsons está longe de sua melhor atuação e passa completamente despercebido na trama.

O filme também conta com outros grandes atores, como Alfred Molina (Educação), no papel do irmão mais velho de Ned, Joe Mantello (Law & Order), Jonathan Groff (da série Looking), Denis O’Hare (True Blood), Stephen Spinella (Milk – A voz da igualdade), Corey Stoll (House of Cards), Finn Wittrock (Invencível) e BD Wong (da série OZ).

Fonte: Reprodução/YouTube

Uma história real que certamente ficará marcada

The Normal Heart é comovente na maior parte do tempo, graças às atuações memoráveis, porém, há momentos de fúria nos quais os diálogos foram moldados para impactar e marcar a sua memória.

Dirigido por Ryan Murphy (Glee e Comer Rezar e Amar) e com Brad Pitt (O Curioso Caso de Benjamin Button), Dede Gardner (12 Anos de Escravidão), Jason Blum (Atividade Paranormal) e Dante di Loreto (Glee) como produtores-executivos, The Normal Heart é uma obra obrigatória que vai fazê-lo refletir sobre o início da trágica disseminação da epidemia que tirou a vida de centenas de pessoas na época e que, infelizmente, hoje ainda afeta 6 mil pessoas diariamente.

A produção original da HBO Films está programada para estrear no Brasil no dia 31 de maio, às 22 horas. Marque o horário na sua agenda e prepare a sua pipoca: The Normal Heart é um dos filmes mais belos dos últimos tempos.

*Este filme teve sua análise elaborada a partir de exibição em evento da HBO Latin America

Assuntos
Cinema

Deixe seu comentário